Reprodução Reprodução

Desde a madrugada de terça-feira, 11/08, o empresário e diretor da Rádio Rezende FM de Nova Xavantina-MT, Divino Carlos, conhecido carinhosamente como Divino do Celeiro ou Divino da Rádio, iniciou uma batalha contra o Covid-19.

Desde o último dia 03/8, Divino vem tendo sintomas leves, onde veio a piorar no último domingo, 09/08, dia em que foi internado. Divino amanheceu o domingo indisposto, ficou em casa o dia todo, foi a igreja, depois jantou na casa de um amigo e antes da meia noite, foi internado às pressas no Hospital Municipal.

Internado, ele teve uma leve piora no decorrer da segunda-feira, e na madrugada do mesmo dia para terça-feira, teve seu quadro agravado, com saturações baixas e um alto índice glicêmico (diabete). Os médicos estabilizaram a glicemia e a saturação por volta das 03 da manhã.

Na manhã seguinte, Divino amanheceu com o estado grave. Mesmo com toda medicação, o mesmo começou a ter muita falta de ar, chegando alcançar um alto nível de estresse respiratório com o grau de consciência muito rebaixado, momento decisivo em que os médicos decidiram realizar a intubação, que aconteceu antes das 17 horas.

A batalha começou em busca de regulação para transferência e na localização de uma vaga de UTI. Por volta das 20 horas, abriu uma vaga de UTI em Barra do Garças, e pouco mais de 21 horas, Divino estava saindo do hospital com destino à UTI de Barra do Garças.

Um momento triste, assistido por amigos que estava presentes no muro do hospital. Uma cena marcante, que nos fazem repensar toda a questão do isolamento e da velha e conhecida frase: Se puder, fique em casa!

Divino chegou em Barra do Garças e foi direto para um leito de UTI, amigos e o cunhado que o acompanharam, voltaram com a esperança que muito em breve, o Divino, o Divino da Rádio, o Divino do Celeiro, o gordo, volte para casa; com saúde e paz.

A nós, nos cabe orar, rezar e emanar energias positivas. Rogamos a Deus, em sua infinita misericórdia, que tudo possa acontecer da melhor forma possível, e que em breve, podemos ter o Divino de volta.