Foto: Dialum AssessoriaFoto: Dialum Assessoria

O diagnóstico do câncer abarca mais de 600 tipos de tumores diferentes, cujos tratamentos variam de acordo com a origem da célula e o tipo do tumor, o estágio em que se encontra e a história natural da doença. A complexidade da doença torna necessário o envolvimento de uma variedade de profissionais durante as diversas fases do tratamento, tendo em vista que é um processo que passa por várias etapas. Em cada uma delas é necessário o atendimento de um profissional de saúde especializado para prestar o suporte mais adequado possível.

Segundo a médica assistente na Oncolog, com especialização em Oncologia Clínica, Cuidados Paliativos e pós-graduação em Onco-hematologia, Luciana Orsi Ribeiro Pateiro, a composição de uma equipe multidisciplinar melhora a comunicação entre os profissionais, além de permitir uma maior união e um plano de cuidados integrado em busca do melhor atendimento ao paciente.

“A presença de uma equipe multidisciplinar, no momento do diagnóstico e do tratamento, melhora a discussão dos casos e afeta positivamente o planejamento e a implementação da terapia, com maior adesão às recomendações e maior eficiência na tomada de decisões clínicas”, esclarece a médica Luciana Orsi.

A equipe de profissionais envolve oncologistas clínicos, cirurgiões, radioterapeutas, enfermeiras, farmacêuticos, nutricionistas, fisioterapeutas, dentistas e psicólogos. “O objetivo é ampliar o cuidado e aperfeiçoar o tratamento, com o máximo de eficiência e de forma humanizada. A principal vantagem desse modelo é a percepção e o tratamento integral do paciente a partir de diferentes visões dos profissionais envolvidos no caso, ampliando a qualidade da saúde e o bem-estar dos pacientes”, conta a enfermeira da Oncolog, Shirley da Cruz Coelho.

Na literatura, existem diversos estudos que mostram que cuidar do paciente com equipe multidisciplinar otimiza o trabalho e pode reduzir a taxa de mortalidade, além de melhorar a gestão hospitalar e ambulatorial. “Cada paciente reage de uma forma diferente. Por isso, ter uma equipe multidisciplinar te prepara para atuar de forma humanizada em cada etapa. Assim, você terá uma abordagem mais ampla e eficiente, desde o diagnóstico até o pós-tratamento, fazendo com que cada membro tenha um papel importante no cuidado”, analisa Luciana Orsi.

Para a médica, não há dúvidas sobre a importância da equipe multidisciplinar no tratamento do câncer, considerando que são profissionais que vão oferecer todo o suporte que o paciente precisa em um momento difícil. “A equipe multidisciplinar e de cuidados paliativos no setor da oncologia visa melhorar a qualidade de vida do paciente através da prevenção e do alívio dos sofrimentos físico, psíquico e social, e até espiritual, do paciente”, finaliza.