0
0
0
s2smodern

 

Foto: ReproduçãoFoto: ReproduçãoA Justiça determinou o afastamento do prefeito Fábio Mauri Garbúgio (PTB) de Alto Taquari, a 509 km de Cuiabá. Ele é suspeito de improbidade administrativa por cobrar propina no valor R$ 17 mil de um fazendeiro. Em troca, ele liberaria um caminhão com produtos agrícolas que estava saindo da propriedade rural.

Além do afastamento por 180 dias, o juiz Fábio Alves Cardoso determinou a indisponibilidade dos bens o prefeito em até R$ 51 mil.

O prefeito tem 15 dias para apresentar recurso. O G1 tentou contato com Fábio Mauri por telefone, mas a ligação não foi atendida.

A decisão é em resposta a uma ação movida pelo Ministério Público Estadual, após a denúncia de cobrança de propina por parte do prefeito.

De acordo com as investigações, em janeiro de 2018, Fábio Mauri, teria abordado um produtor rural e a mulher dele quando saiam da propriedade, com um caminhão carregado com produtos agrícolas provenientes da propriedade rural.

Segundo consta no relato, os fazendeiros tinham o costume de sair da fazenda com o produto da colheita, para fazer a pesagem em uma balança disponibilizada por terceiros. O peso da carga era utilizado para emissão de Nota Fiscal.

Na ocasião, o prefeito, acompanhado de um policial e um fiscal, teria exigido do casal a quantia de R$ 17 mil para liberar o caminhão. O veículo teria ficado retido até que o pagamento fosse efetuado.

Com medo, as vítimas teriam emitido três cheques. Um, no valor de R$ 7 mil, que foi depositado diretamente na conta do Posto Garbúgio, que é propriedade de Fábio, embora esteja no nome da mulher e do filho dele.

Outros dois cheques, no valor de R$ 5 mil, foram sacados no caixa de uma cooperativa de crédito, por um funcionário do prefeito.

“O prefeito, ao praticar o crime descrito acima, também incidiu no dispositivo enumerado da Lei de Improbidade Administrativa”, diz trecho da decisão.

Durante o afastamento, o vice-prefeito Marco Aurélio Julien (PRB) assume a administração do município.