Foto: AssessoriaFoto: Assessoria

O deputado federal José Medeiros (PODE) entrou com uma representação disciplinar no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) contra o procurador-geral de Justiça de Mato Grosso, José Antonio Borges. Na reclamação disciplinar, Medeiros denuncia o posicionamento político do Borges, que por reiteradas vezes fez declarações nos meios de comunicação, na condição de procurador, denegrindo a imagem de autoridades, em especial do presidente Jair Bolsonaro (PL) e do procurador-geral da República, Augusto Aras. “Tal conduta, em tese, constitui infração disciplinar e contraria a Constituição Federal e a Lei Orgânica do Ministério Público”, diz trecho do documento.

Na representação, o parlamentar cita várias matérias publicadas com o posicionamento político do procurador, onde Borges classifica o presidente Bolsonaro de “desumano e inconsequente” e o responsabiliza pelas mortes em decorrência do coronavírus. “...Ainda que se alegue que o Procurador Geral de Justiça de Mato Grosso estava no exercício de sua liberdade de expressão, não se pode fechar os olhos para os ataques pessoais ao presidente da República e ao procurador Geral da República, demonstrando que o PGJ [José Antonio Borges] faz uso de seu cargo para tecer comentários políticos pessoais, o que extrapola suas atividades como procurador”, afirma o deputado na ação.

Medeiros, que é vice-líder do governo Bolsonaro na Câmara Federal, solicita na representação que o CNMP determine que José Antonio Borges se abstenha de efetuar declarações depreciativas, tendenciosas e de cunho político em especial relacionadas à esfera federal, cujas atribuições são exclusivas da Procuradoria Geral da República. Além disso, que o Conselho Nacional aplique as sanções disciplinares previstas em lei.

A previsão é que a representação do parlamentar contra o procurador-geral, protocolada em 2021, seja analisada pelo CNMP agora em fevereiro.

 CLIQUE AQUI E PARTICIPE DE NOSSOS GRUPOS DE WHATSAPP