Ministra Damares estará em Barra do Garças nesta sexta-feira

 Foto: AssessoriaFoto: Assessoria

Membro da Frente Parlamentar da Primeira Infância e da Juventude, o deputado federal José Medeiros (PODE) destaca a atuação do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos (MMFDH) no fortalecimento das políticas sociais e anuncia que a titular do ministério, Damares Alves, estará no município de Barra do Garças, nesta sexta-feira (28), apresentando o Plano de Ação de Defesa das Garantias de Direitos das Crianças e Jovens Indígenas a ser implementado em Mato Grosso. O evento será às 9h30 no anfiteatro Fernando Peres de Farias.

Foto: AssessoriaFoto: Assessoria

Além de apresentar o plano, a ministra vai discutir com agentes públicos federais, estaduais e municipais parcerias para implementação das ações para reforçar o enfrentamento às situações de vulnerabilidade das crianças e jovens indígenas de Mato Grosso. Inicialmente, o trabalho será feito na comunidade indígena Xavante de Barra do Garças e posteriormente ampliado para outras etnias do estado. Etnias de Mato Grosso do Sul e Roraima também serão contempladas na fase inicial do plano de ação.

“A ministra Damares retorna ao nosso estado com a missão de colher dados para aperfeiçoar a rede de proteção aos direitos humanos das crianças e jovens indígenas em situação de vulnerabilidade. A rede envolve outros órgãos e entidades, como o Ministério da Cidadania, através da Secretaria de Assistência Social. Mais uma vez o governo do presidente Jair Bolsonaro demonstra seu compromisso com os povos indígenas, em especial com as crianças”, destaca Medeiros, que é vice-líder do governo na Câmara Federal.

Foto: AssessoriaFoto: Assessoria

A ministra Damares explica que os estudos do plano de defesa das crianças e jovens indígenas estão sendo realizados em parceria com o Programa da Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), ligado à Universidade de Brasília (UnB). A parceria foi firmada em dezembro do ano passado. “A minha trajetória neste tema é antiga. No entanto, as crianças indígenas ainda estão morrendo com fome, sem acesso a diversos serviços, como por exemplo de saúde. Temos que virar a página desta história. Que façamos essas entregas e que possamos não mais escutar o choro de tantos curumins. Que eles saibam que não estão sozinhos e que são prioridade para nós”, disse a ministra durante a assinatura da parceria.

 CLIQUE AQUI E PARTICIPE DE NOSSOS GRUPOS DE WHATSAPP