Foto: Assessoria Foto: Assessoria

Aconteceu na última sexta-feira (25-09), no auditório do Sindicato Rural, uma reunião com profissionais da educação e autoridades locais, onde foi apresentado o modelo de projeto para a possível implantação de uma unidade do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), no município de Água Boa.

Estiveram presentes no encontro, a vice-prefeita Rejane Garcia (PSDB), as Secretárias de Desenvolvimento Thiene Costa e de Educação Núbia Foschiera, o Secretário de Infraestrutura Marcos André Bertol e profissionais da educação do município.

Para a secretária de Educação, Núbia Foschiera, “é uma oportunidade única de trazer uma instituição de excelência para o nosso município, haja visto, a grande procura de mão de obra especializada por várias empresas, bem como abrir um leque de formação e profissionalização para os jovens do município. E se depender da SEMED, faremos o possível para que o IFMT se instale em Água Boa".

Na oportunidade, o representante do IFMT Carlos Câmara fez a apresentação do modelo de ensino e do projeto arquitetônico aos presentes.

O IFMT é uma instituição de educação superior, básica e profissional, pluricurricular e multicampi, especializada na oferta de educação profissional e tecnológica nas diferentes modalidades de ensino. Vinculada ao Ministério da Educação, possui natureza jurídica de autarquia, com autonomia administrativa, patrimonial, financeira, didático-pedagógica e disciplinar.

De acordo com Carlos Câmara, essa é uma parceria de ensino profissional e tecnológico onde existe a pré-disposição do município em desenvolver a força de trabalho voltado para a tecnologia de alta precisão e o Instituto Federal em trazer essa profissionalização para o município e região.

“Existe aí um contato do município de Água Boa com a Secretaria de Educação Profissional do Ministério da Educação e para que um polo do IFMT seja implantado no município, será realizado todo um planejamento que passa pelo levantamento socioeconômico, onde serão criados os indicadores de impacto, serão verificadas quais são as tendências que existe no município e região, o arranjo produtivo, mapear esse arranjo produtivo e o poder de empregabilidade para a população local e regional. ”

Ainda segundo Carlos Câmara, será realizado um estudo mais aprofundado onde deverá existir uma contrapartida do poder municipal com o apoio do legislativo e da sociedade civil organizada para que um polo do Instituto Federal de Mato Grosso venha para Água Boa.