Banner Política

O presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse que está aberto ao diálogo para garantir amplo acesso à Coronavac, vacina contra o coronavírus que está sendo desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

Maia procurou buscar um consenso para o impasse sobre o assunto. Ele esteve em São Paulo nesta sexta-feira (23), onde se encontrou com o governador João Dória.

O impasse começou na terça-feira, depois que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou que o governo federal compraria 46 milhões de doses da Coronavac, No dia seguinte, o presidente Bolsonaro negou qualquer compromisso com a compra da vacina.

Apesar da fala de apoio, Rodrigo Maia negou que esteja em pauta alguma matéria legislativa que possa tornar obrigatória a aquisição da vacina. Ele também afirmou que a PEC do Orçamento de Guerra, criada para flexibilizar os gastos no combate à pandemia, não deve ser prorrogada. A proposta tem validade até o dia 31 de dezembro.

Já o governador João Dória voltou a falar sobre a necessidade da vacina, e lembrou dos investimentos em outros dois imunizantes que também ainda não tiveram os resultados de segurança e eficácia comprovados. 

Nessa quinta-feira, o vice-presidente Hamilton Mourão também  já tinha dito que o investimento em vacinas passa pela aprovação pela Anvisa. 

Em todo o mundo, 11 vacinas estão na última fase de testes para aprovação, a chamada fase 3. Seis dessas vacinas já tiveram a autorização de uso limitado aprovado por agências reguladoras de saúde em diferentes países.

A CoronaVac é uma dessas seis vacinas. Segundo estudo publicado na revista científica Nature, 75% dos brasileiros estão dispostos a serem vacinados contra o novo coronavírus.

Por: Eliane Gonçalves, Sapicuá Rádio News