0
0
0
s2smodern

Foto: Assessoria PJCFoto: Assessoria PJC

Na quinta-feira (07/11), foi dado cumprimento a um mandado de prisão temporária na Cidade de Santana do Araguaia - PA de L. I. F. M., 33 anos,  suspeito da prática do crimes de estupro e homicídio praticado contra a L.M.R.S., adolescente de 16 anos, na em 25 de dezembro de 2014, na Cidade de Campinápolis - MT. Crime este que causou grande comoção social naquela cidade e região. 

Através do trabalho investigativo da Delegacia de Campinápolis e das atividades de inteligência do Núcleo de Inteligência de Água Boa em parceria com o Núcleo de Inteligência de Confresa foi possível a localização do suspeito na cidade próxima à divisa entre os Estados de Mato Grosso e Pará. Com a localização do foragido, equipes da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso com apoio da Polícia Civil do Pará efetivaram a prisão do suspeito, comunicando às autoridades daquele local.  

O suspeito foi posteriormente encaminhado para a Penitenciária Major Zuzi na Cidade de Água Boa, onde permanece à disposição do Juízo da Comarca de Nova Xavantina e da Delegacia de Polícia de Campinápolis, responsável pela condução do inquérito policial. 

Entendendo o caso: 

A adolescente L. M. R. S., de 16 anos, foi encontrada morta, na data de 25/12/2014, atrás de uma igreja no município de Campinápolis (602 km a Nordeste de Cuiabá). Há suspeita de que ela tenha sido estuprada, pois o corpo estava apenas com roupa íntima, uma orelha machucada (como se estivesse sido mordida) e com sinais de espancamento na cabeça.

De acordo com as primeiras informações, foi o pai da jovem que a encontrou, no dia de Natal. Ele falou aos policiais que a adolescente saiu de casa na noite de quarta-feira, para ir até à rua usar o sinal de internet Wi-Fi. No entanto, ela não retornou mais e os familiares começaram a procurá-la ainda de madrugada.

Enquanto a polícia realizava seu trabalho no pátio da igreja, um homem passou várias vezes em frente ao local, levantando suspeitas. Como ele já havia sido preso por agressão a uma mulher e também por suspeita de abuso sexual, ele foi detido e encaminhado à delegacia para averiguação. Porém, ele negou envolvimento com o assassinato e foi solto por falta de provas.