1708065A Politec revelou novas informações sobre a investigação do esquartejamento de um detento na Penitenciária Regional Major Zuzi, ocorrido em novembro (21) de 2016.

Na época, foram encontrados os restos mortais de um homem dentro da tubulação de esgoto do presídio e a ossada escondida em outra cela. A suspeita incidiu sobre Leandro Leal Pereira, único que não estava presente durante chamada.

Ainda assim, era necessário conferir se o corpo era mesmo de Leandro, considerando também a possibilidade de fuga e da morte de um provável terceiro desconhecido.

Por meio da perícia datiloscópica do dedo polegar direito encontrado com impressões papilares ainda preservados, foi possível aos técnicos da Politec fazerem o confronto com a impressão digital.

De acordo com o Gerente local da Politec, Paulo Victor Barbosa, a análise comprovou que o dedo pertence ao suspeito Leandro, mas ainda é necessário realizar exame de DNA para confirmar que as demais partes são todas da mesma pessoa.

O crime foi cometido pelos colegas de cela e a suspeita da motivação é de conflito de facções criminosas.