ReproduçãoReproduçãoCerca de 55 kg de pescado irregular foi apreendido e uma tartaruga foi liberdade de uma armadilha durante uma operação no Disitrito de São José do Couto, município de Campinápolis, a 565 km de Cuiabá. A ação foi coordernada pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema-MT).

Entre as espécies apreendidas, foram encontradas 34 unidades de matrinxã. Duas pessoas que estavam na região e eram responsáveis pelo pescado fugiram.

Os peixes foram doados à uma instituição social de Paranatinga, a 411 km de Cuiabá. A tartaruga que estava presa em uma armadilha foi solta e devolvida à natureza. Ainda durante a ação, pelo menos 30 armadilhas para captura de tartarugas foram desarmadas.

A ação contou com a participação da Coordenadoria de Fiscalização de Fauna e o Batalhão de Polícia Ambiental (BPMPA).

Regras para a pesca: Segundo o governo, embora esteja fora do período de defeso da piracema estadual, os pescadores profissionais e amadores precisam seguir algumas regras determinadas pela Lei Estadual nº 9.096/2009.

A norma estabelece a proibição para uso de apetrechos de pesca, como tarrafa, rede, espinhel, cercado, covo, pari, fisga, gancho, garateia pelo processo de lambada, substâncias explosivas ou tóxicas, equipamento sonoro, elétrico ou luminoso.

As medidas mínimas dos peixes constam na carteira de pesca do estado e algumas delas são: piraputanga (30 cm), curimbatá e piavuçu (38 cm), pacu (45 cm), barbado (60 cm), cachara (80 cm), pintado (85 cm) e jaú (95 cm).