Imagem IlustrativaImagem IlustrativaA Corregedoria da Polícia Civil de Mato Grosso abriu Processo Administrativo Disciplinar (PAD) contra a policial Joelza Rosa. Ela é acusada de participar de uma organização criminosa que desviou dinheiro público por meio do Cartão Cidadão. A informação foi publicada no Diário Oficial do Estado que circulou nesta segunda-feira (23). 

O PAD, de número 014/2017/CGPJC/MT, tem o prazo de conclusão de 60 dias, podendo prorrogar por igual prazo.

Conforme o extrato da portaria publicada no Diário Oficial, Joelza será investigada por suposta quebra de deveres do policial civil, tipificado no artigo 116 do Estatuto da Polícia Judiciária Civil. 

O processo pode resultar na expulsão da servidora do quadro de funcionários da Polícia Civil, devido aos fatos graves já apurados. 

Joelza foi presa durante a operação Stellio Natus – deflagrada em abril deste ano pela Polícia Federal (PF). As investigações apontam que a policial é a esposa do principal líder do esquema que usava dados de pessoas que tinham direito aos benefícios do Cartão Cidadão, entre eles o Seguro Desemprego e o saque do FGTS [Fundo de Garantia do Tempo de Serviço].   

Joelza foi presa em São Félix do Araguaia. Na época da operação foram cumpridos 16 mandados, sendo oito de prisão preventiva, dois de condução coercitiva e seis de busca e apreensão.

A operação teve como base o Estado de Goiás, mas também houve prisões e mandados de busca e apreensão em Mato Grosso, Minas Gerais e Pará.