ReproduçãoReprodução

Morreu no final da noite de quarta-feira (10), a ex-primeira-dama de Várzea Grande, mãe do senador Jayme Campos (DEM) e do ex-governador Júlio Campos, Amália Curvo de Campos, aos 96 anos, vítima da Covid-19. O comunicado foi feito por Jayme em sua rede social e reforçado pelo irmão dele, o ex-governador Júlio Campos.

De acordo com Júlio, Dona Amália estava internada no Santa Rosa, em Cuiabá. Mas, ela não resistiu e acabou morrendo por volta das 23h30. "Obrigado Jesus por ter me dado a opurtunidade de conviver e amar essa mãe por 74 anos da minha vida", disse Júlio em uma rede social. 

“Uma mulher carinhosa, uma mãe amorosa que deixa um legado de muito amor. Junto ao inesquecível Seo Fiote, meu saudoso pai, constituíram uma bonita família de 10 filhos, 23 netos e 30 bisnetos”, destacou o filho Jayme.

Em razão da pandemia da covid-19, a família, uma das mais tradicionais de Mato Grosso, não realizará velório. Haverá um cortejo que sairá do Hospital Santa Rosa, em Cuiabá, até o Cemitério Central São Francisco, em Várzea Grande. O sepultamento, segundo o senador, está marcado para às 11h30.

“Mesmo com o coração partido, agradeço a Deus por ter sido gerado, formado e educado por esta simples e forte mulher. Tenho 69 anos de vida e, se sou o que sou, é pela graça de Deus e por ter tido dona Amália como mãe”, continuou o senador.

História

Dona Amália foi primeira dama duas vezes, nas décadas de 1950 e 1960, quando Júlio Domingos de Campos, o Seo Fiote, foi eleito prefeito. Também foi ativa na política local, participando da fundação dos partidos PSD, ARENA, PFL e o DEM.

“Minha mãe sempre foi uma mulher muito zelosa e muito prestativa. Tinha por ofício a enfermagem e fundou o primeiro Posto de Saúde de Várzea Grande. Ela foi, durante 20 anos, presidente da Sociedade de Proteção à Maternidade e Infância da cidade”, finalizou Jayme.