ReproduçãoReprodução

O trabalhador rural Geovane Lima Correia, de 29 anos, morreu após ser picado por uma cobra jararaca na segunda-feira (31) na fazenda em que trabalhava em Denise (208 km de Cuiabá). 

Logo após ser atacado pelo animal, o vaqueiro desmaiou e foi levado às pressas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. 

No entanto, ele precisou ser transferido para Cuiabá porque o Município não possuía soro antiofídico. 

Geovane chegou na Capital quatro horas após ser picado pela serpente. Porém, ele não resistiu ao veneno e morreu. A morte de Geovane Correia foi o segundo caso de ataque de jaracara noticiado no Estado nesta semana. 

No final de semana, a médica médica Dieynne Saugo também foi mordida, enquanto tomava banho na cachoeira da Serra Azul. Ela está internada em Cuiabá. 

Outro lado 

De acordo com a secretária de Saúde de Denise, Janaína Viana, a Pasta tem solicitado o medicamento para o Polo Regional em Tangará da Serra há três meses. 

Segundo Janaína, os pedidos sempre são negados com a justificativa de que a cidade não possui hospital. 

A secretária disse ainda que, com a morte do vaqueiro, ela fez mais uma solicitação de soro para evitar que o incidente se repetisse, mas ainda aguarda resposta.