Banner Mundo

Esta é uma serie sobre a origem dos principais idiomas falados no mundo, e hoje, a iniciaremos com a história do idioma Inglês.

Árvore genealógica da linguagem | GoogleÁrvore genealógica da linguagem | Google

O IDIOMA INGLÊS

O território do atual Reino Unido, United Kingdom, foi conquistado e ocupado por diversos povos, o que resultou em um idioma miscigenado, e que de acordo com os registros históricos podemos afirmar sofreu três estágios marcantes no seu desenvolvimento, que podemos identificar como Old English, Middle English e Modern English.

Veja também: Prof. Márcio Ceretti lança plataforma de inglês com E-Book e aulas em mp3

Old English ( Inglês antigo) foi oficialmente usado de 500 a 1.100 depois de Cristo.

Sabe-se que desde muitos séculos antes de Cristo o território do Reino Unido foi ocupado por vários povos, a exemplo dos Celtas, os Romanos, os povos Anglo Saxões e os povos Escandinavos, que de acordo com as próprias culturas foram estabelecendo uma forma de comunicação oral e escrita própria da região, e que se desenvolveu e foi definido como um idioma, ou seja, o Old English, a forma oficial do idioma que se desenvolveu até o ano 500 e vigorou até o ano 1.100.

O Old English, que foi por vezes chamado de Anglo-Saxon, se comparado com o Inglês moderno, é praticamente irreconhecível, tanto na pronuncia como no vocabulário e nas regras gramaticais, por exemplo: Um falante do inglês moderno, somente reconheceria 15% das palavras escritas da oração Pai Nosso em Old English e provavelmente nenhuma das palavras pronunciadas, tão grande era a diferença.

O Old English apresentava diferenças gramaticais   relevantes em relação ao Inglês moderno, a exemplo da variação de gênero (masculino, feminino e neutro) dos substantivos e da conjugação dos verbos.

A época do Old English, ou seja, de 500 a 1.100, foi marcada pelo Reinado de Arthur, os ataques escandinavos – vikings, a chegada dos primeiros missionários católicos, o reinado de William o Conquistador bem como a conquista pelos Normandos.

Middle English (Inglês intermediário) de 1.100 a 1.500 depois de Cristo.

O idioma inglês desse período, ou seja, o Middle English, foi fortemente marcado pela influência do idioma Francês, resultante da dominação Franco Normanda, que durou três séculos e causou, principalmente, a inserção de vários vocábulos de origem francesa, sem contar muitos aspectos culturais e sociais.

Há registros de que durante muito tempo, em alguns lugares, a exemplo das rodas sociais e da realeza na Inglaterra, o idioma oficial tenha sido o Francês, devido ao período de dominação Normando Francesa.

Com o tempo, porém, o sentimento nacionalista tomou força e o idioma inglês passou a prevalecer naquele território.

Em termos gramaticais, esse período foi marcado pelo início das caraterísticas atuais do idioma Inglês, especialmente em relação à conjugação típica dos verbos e da não variação em gênero dos substantivos e adjetivos e da não variação de número dos adjetivos.

Em 1.348 o idioma Inglês passou a ser usado como meio de instrução na maioria das escolas, e em 1.362, foi usado pela primeira vez para abertura da sessão do parlamento e passou a ser usado nos meios jurídicos, leis e procedimentos judiciais.

Modern English (Inglês moderno), de 1.500 até os dias atuais.

Enquanto que o Middle English se caracterizou pela acentuada diversidade e influencia de dialetos, o Modern English representou o período de padronização do idioma.

O surgimento da imprensa em 1.475 e a criação do sistema postal em 1.516, possibilitaram a disseminação do idioma em Londres, que na época já era o centro político, social e econômico da Inglaterra, bem como o desenvolvimento da educação e alfabetização, devido à disponibilidade de materiais impressos a partir daquela época.

A  pronuncia sofreu modificações, especialmente ao que se chamou de Great Vowel Shift que modificou a pronúncia de determinadas vogais, e os  atuais princípios gramaticais foram estabelecidos, acrescidos da reforma ortográfica, mas o fato mais interessante é que o processo de padronização do idioma, iniciado no princípio do século 16, e se fixou no século 18, somente foi modificada em pequenos detalhes, enquanto a pronuncia sofreu grandes transformações, assim, temos hoje um sistema ortográfico baseado no idioma como era falado no século 18, sendo usado para representar a pronuncia do século 20, interessante não é?

Em termos gramaticais, com o advento do Modern English, foram estabelecidas as regras atualmente conhecidas, relativas principalmente à conjugação simplificada dos verbos, e da não variação em gênero de substantivos e adjetivos e da não variação em número dos adjetivos.

Porém, para encerrar, sabemos que um idioma, além de ser um código de comunicação próprio e específico de uma cultura, é um elemento vivo e dinâmico que sofre a influência do povo que o detém, isto em relação às formas coloquiais do mesmo, permitindo a constante criação de expressões e gírias, que é claro, não pertencem à norma culta.

Falamos hoje aqui do Inglês falado e escrito no Reino Unido. O idioma Inglês falado e escrito em outros países, naturalmente sofre as influências culturais próprias de cada local e de cada sociedade em questão.

Marcio Ceretti é pedagogo, especializado em docência em nível superior, certificado pelo Conselho Britânico e pela Universidade de Michigan.

CLIQUE AQUI E PARTICIPE DE NOSSOS GRUPOS DE WHATSAPP