Banner Mundo

Reprodução Reprodução

O robô humanoide da Tesla promete desempenhar funções entediantes e perigosas para humanos através de inteligência artificial

No Tesla AI Day, dia da Inteligência Artificial da empresa norte-americana Tesla, comandada por Elon Musk, o CEO anunciou o Tesla Bot, um robô humanoide dotado de inteligência para desempenhar funções humanas do dia a dia.

A Tesla é uma empresa criada em 2003, na Califórnia (EUA), que desenvolve, produz e comercializa veículos elétricos e está comprometida com tecnologias de ponta no mundo automobilístico, como super baterias, carros autônomos e IA integrada aos carros.

Acompanhando a tendência de outras empresas automotivas, como a Toyota e a Honda, a Tesla também está investindo na criação de um robô com características humanas.

O bilionário Elon Musk é conhecido por iniciativas surpreendentes, como a SpaceX, empresa comandada por ele que fabrica sistemas aeroespaciais e tem como um dos objetivos a colonização de Marte.

Seguindo a tendência de projetos ousados está o Tesla Bot que visa, no longo prazo, ser um robô capaz de desempenhar funções cotidianas entediantes, como fazer compras no mercado. 

Características do Tesla Bot

O projeto do Tesla Bot, apresentado ao público em 19 de agosto, consiste em um robô humanoide que deve ter seu primeiro protótipo pronto em 2022, sem previsão ainda de chegar comercialmente ao mercado.

Apesar disso, o robô já motivou muitas especulações sobre suas operações e, principalmente, sua viabilidade técnica e funcionalidade.

Físico

O Tesla Bot, como outros robôs humanoides, imita o físico humano e será construído com 1,73 m de altura e pesando 56,7 kg, ou seja, a estatura de uma pessoa mediana.

Ele terá braços, pernas, tronco e cabeça, de forma que tenha uma aparência bastante humana.

Locomoção

Para locomoção, os engenheiros da Tesla planejaram um robô autônomo, que pode deslocar-se sozinho com uma velocidade de até 8km/h.

O objetivo é que ele seja mais lento que um humano, podendo ser contido caso necessário, mas Musk afirma que o Tesla Bot foi desenvolvido para ser amigável.

A navegação do robô é auxiliada por um sistema de câmeras e sensores, além de um sistema de navegação autônomo que também é usado nos veículos da empresa como parte da tecnologia de piloto automático.

Funções

Na apresentação ao público, Elon Musk revelou apenas a ideia de como será o Tesla Bot, de forma que muitas expectativas foram criadas sobre quais as funções que o robô poderá desempenhar.

De acordo com o idealizador, o objetivo é que o Tesla Bot substitua os humanos em tarefas repetitivas e entediantes do dia a dia, como fazer compras no supermercado. 

O robô também poderia desempenhar tarefas que são consideradas perigosas, evitando situações de risco aos humanos.

Inteligência Artificial

A viabilidade operacional do Tesla Bot é graças à Inteligência Artificial do robô, que é alimentada pelas informações coletadas por sensores e câmeras para que ele torne-se mais eficiente nas funções cotidianas.

A IA é uma tecnologia que permite a reprodução, em robôs, da estrutura de pensamento humano, considerando todas as variáveis de entrada para chegar a uma solução.

A capacidade de aprimoramento contínuo do robô deve-se ao aprendizado de máquina (machine learning), tecnologia pela qual o sistema consegue aprender novas variáveis de entrada, podendo alterar as soluções encontradas. 

Por meio da Inteligência Artificial é que se torna possível a automação e independência do Tesla Bot para as diversas funções que a equipe desenvolvedora espera que o robô desempenhe futuramente.

Processamento de linguagem natural

O processamento de linguagem natural (PLN) é outra tecnologia integrada ao Tesla Bot que permite que ele se comunique com os humanos.

O PLN consiste em uma vertente da Inteligência Artificial que viabiliza a manipulação da linguagem para preencher as lacunas entre a conversação humana e a capacidade de interpretação computacional.

Com isso, são processados conteúdos não-estruturados, como imagens e sons, e grandes quantidades de dados para que o robô aproxime seu entendimento do objetivo da comunicação humana.

O PLN já tem diversas aplicações cotidianas, sendo a tecnologia que viabiliza, por exemplo, os assistentes virtuais em smartphones e bots de autoatendimento no e-commerce.

A tecnologia também tem sido direcionada a áreas específicas, como saúde e educação. Na medicina, por exemplo, o processamento de linguagem natural é usado no software de voz para laudo para contribuir na interpretação do sistema e reduzir erros na transcrição dos laudos.

O PLN, provavelmente, será integrado ao Tesla Bot para viabilizar a comunicação com humanos, permitindo receber comandos para a realização das tarefas.