Banner Mundo

Reprodução Reprodução

O governo editará uma portaria conjunta do Ministério das Relações Exteriores e do Ministério da Justiça autorizando a concessão de asilo político e vistos humanitários aos cidadãos afegãos, priorizando mulheres e meninas.

A informação foi dada ao blog pela ministra Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha, do Superior Tribunal Militar (STM), que conversou há pouco com o presidente Bolsonaro.

A ministra está articulando, com o auxílio do presidente do STM, Luiz Carlos Gomes Mattos, e de Amini Haddad, da IAWJ (Associação Internacional de Juízas Mulheres), o socorro a juízas afegãs há cerca de 270 delas no Afeganistão.

De acordo com Rocha, a portaria priorizará mulheres e meninas. Elas terão de solicitar o asilo. Para isso, diz ela, teriam de chegar ao Paquistão ou então apostar na criação de um corretor humanitário, como fizeram no Kosovo, auxiliado pela Cruz Vermelha.

“A minha expectativa é que IAWJ consiga localizar as magistradas e levá-las até o Paquistão. Neste sentido, a criação de um corredor humanitário poderia conduzi-las com segurança para fora do Afeganistão”, disse ao blog Maria Elizabeth.

O governo afirmou que fará um “pente fino” nos pedidos, principalmente nos que forem feitos por homens. O temor do presidente é o de que haja infiltração terrorista.