Reprodução Reprodução

Uma missão comercial formada por empresários, diplomatas e autoridades iranianas visitará Mato Grosso nas próximas semanas. A confirmação foi passada pelo embaixador do país persa, Hossein Gharibi, que nesta sexta-feira (05) visitou o senador Carlos Fávaro (PSD-MT) em Brasília. A intenção do grupo é conhecer de perto as potencialidades do Estado e iniciar as tratativas bilaterais para o estabelecimento de um fluxo permanente de comércio.

Para Fávaro, a notícia representa um importante avanço nas tratativas com a delegação iraniana, iniciadas no fim do ano passado. “Tivemos reuniões preparatórias e, na semana passada, um jantar com o governador Mauro Mendes e com o deputado federal Neri Geller. Este retorno do embaixador aprofunda ainda mais as tratativas e ajuda a vendermos Mato Grosso para o mundo”.

A intenção do grupo, explica o senador, é conhecer diversas regiões de Mato Grosso e seus mais variados potenciais. “Queremos mostrar para a comitiva os motivos pelos quais estamos na liderança na lavoura, na pecuária e também o que temos na mineração. Vai ser uma visita bastante produtiva e trará resultados práticos para Mato Grosso”.

Nesta semana, o senador apresentou o Projeto de Resolução para a criação do Grupo Parlamentar Brasil-Irã. A intenção é a de estreitar ainda mais os laços com o país persa, com a realização de uma série de ações entre os poderes legislativos das duas nações.

Ao justificar a proposta, Fávaro destacou o fato de que o Irã representa, atualmente, o quarto maior saldo positivo do Brasil na balança comercial. “Em 2019, nosso país exportou mais de 2,2 bilhões de dólares, o equivalente a quase 12 bilhões de reais. É um importante parceiro do Brasil na região, temos bons resultados nas relações comerciais e isso precisa ser potencializado”.

A medida, inclusive, foi elogiada por Gharibi durante o encontro desta sexta. “Tenho a certeza de que iremos ter um relacionamento muito produtivo e parabenizo o senador pela iniciativa”, salienta o diplomata.

Para Mato Grosso, líder nacional em diversos segmentos da atividade agrícola, a criação do comitê se torna ainda mais importante, uma vez que a maior parte dos produtos comprados pelo Irã é justamente do setor agropecuário. “Hoje eles são o segundo maior importador de milho, o quinto em soja e o quarto em carne bovina congelada. São números muito bons, mas podemos fazer mais”, pontuou Fávaro.

Já quando o assunto é a aquisição de produtos persas, os destaques são ureia, utilizada na alimentação dos bovinos, e fertilizantes. “Ou seja, para Mato Grosso é um parceiro fundamental, que entrega estes produtos com preços bastante competitivos e recebe de volta a nossa produção. Trata-se de um importante parceiro para a produção mato-grossense”, salientou o senador, ao lembrar que em 2019 o Brasil importou cerca de 110 milhões de dólares em produtos do Irã.

Com quase 90 milhões de habitantes, o Irã tem hoje como principais parceiros comerciais China, Emirados Árabes Unidos, Coreia do Sul, Turquia e Alemanha.