Banner MT
0
0
0
s2smodern

 

Foto: ReproduçãoFoto: ReproduçãoConforme a assessoria da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) a energia do campus de Cuiabá foi cortada nesta terça-feira (16) por falta de pagamento. A administração também informou que será realizada no período da tarde uma reunião para deliberar como resolver a situação.

“Foi cortada a energia sim, não tenho valores, a única coisa que eu posso adiantar é que temos seis faturas em aberto, quatro delas são de 2018 e duas deste ano e a negociação continua, agora de tarde teremos outra reunião e só após ela poderemos dar alguma notícia mais concreta”, declarou a assessora.

No início do mês, em 5 de julho, a reitora da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), professora Myrian Serra, participou de uma  audiência com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, para debater as contas da instituição.

A instituição sofre com o corte orçamentário desde 2014, na qual houve a redução da verba de custeio, associada às obras e equipamentos do campus. Contudo, em março deste ano, o Governo Federal anunciou o bloqueio de 30% na educação superior de todo o país, que representa R$ 34 milhões para a universidade cuiabana.

Desde o dia 28 de junho, a instituição foi notificada pela empresa Energisa quanto à chance de interrupção na prestação de serviços pela falta de pagamento, entretanto, em negociações, conseguiu a prorrogação do prazo para 5 de julho, contudo, sem recursos o pagamento não foi feito.

A Universidade disponibiliza 113 cursos de graduação, sendo 108 presenciais e cinco na modalidade como Educação a Distância (EaD), residindo em 33 cidades do estado. São cinco Campus e 28 pólos de Ead. Dentro da pós-graduação, a instituição oferece 66 programas de mestrado e doutorado. A UFMT atende 25.435 mil acadêmicos, distribuídos em todas as regiões do estado.