Foto: Comunicação Clara

*Antônio Vieira da Silva

Entre vários benefícios de uma cooperativa de mineração, podemos considerar inicialmente a legalidade do garimpo, que deixa de ter trabalhadores atuando na clandestinidade. Além disso, as cooperativas buscam minimizar os impactos ambientais da atividade, contribuem com a economia da região e atuam para a melhoria da condição econômica-social do garimpeiro, já que todos tem participação igualitária.

A Constituição Federal já prevê, no artigo 174, o amparo a esse sistema: “O Estado favorecerá a organização da atividade garimpeira em cooperativas, levando em conta a proteção do meio ambiente e a promoção econômico-social dos garimpeiros.” Entre os princípios do cooperativismo, destaca-se a adesão livre e voluntária, a gestão democrática, a participação econômica, a autonomia e independência e o interesse pela comunidade.

A finalidade dessas cooperativas é possibilitar pesquisa, extração, lavra, industrialização, comercialização, importação e exportação de produtos minerais. Além de todo esse trabalho voltado para a exploração dos minérios, as cooperativas também costumam apoiar os seus cooperados com diversos tipos de serviços, como saúde e educação.

Em nossa cooperativa, situada no interior de Mato Grosso, no município de Aripuanã, uma série de serviços são disponibilizados para os garimpeiros e suas famílias que moram na Vila Garimpeira. Hoje, contamos com um Posto de Coleta e Diagnóstico Microscópio da Malária, transporte escolar para levar crianças e adolescentes às creches e escolas da cidade, coleta de lixo e caminhão-pipa para molhar as ruas.

O trabalho feito pelo posto de saúde em relação à malária, por exemplo, tem gerado resultados muito positivos para toda a comunidade, já que em 2020 foram registrados 1.114 casos e estamos conseguindo reduzir consideravelmente, mês a mês, os casos na região do garimpo. Para se ter uma ideia, em janeiro deste ano, foram confirmados 143 casos, em junho 24, e em agosto, até o momento, foram registrados somente 10 casos da doença.

E todo esse trabalho foi graças a união de todos os cooperados que vislumbraram um futuro melhor para o sustento de suas famílias por meio do trabalho legal garantido pela cooperativa.

Considerada uma das atividades econômicas mais importantes do país, o setor mineral ainda tem grande potencial de crescimento, já que o solo brasileiro é abundante em riquezas naturais. E a criação de cooperativas para participar desse processo se torna cada dia mais importante não somente para contribuir com as economias regionais, mas porque gera oportunidade para milhares de trabalhadores.

*Antônio Vieira da Silva é garimpeiro e presidente da Cooperativa de Mineradores e Garimpeiros da Região de Aripuanã (Coopemiga) – E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.