Durante a visita, o senador destacou que a cooperativa de garimpeiros é um exemplo de mineração para o Brasil

Foto: AssessoriaFoto: Assessoria

O senador Carlos Fávaro visitou, nesta sexta-feira (09), a Cooperativa de Mineradores e Garimpeiros de Aripuanã (Coopemiga) para conhecer o trabalho que vem sendo feito com cerca de 1.200 garimpeiros cooperados. O presidente da Coopemiga, Antônio Vieira da Silva, acompanhou o senador para mostrar as ações realizadas desde a criação da cooperativa, em 2019. A prefeita do município, Seluir Peixer, e o vereador Caxeta, também estiveram presentes.

“O senador teve a oportunidade de conhecer a realidade do nosso trabalho no dia a dia, com os garimpeiros ganhando seu dinheiro de forma digna, honesta e dentro da legalidade em uma área de pouco mais de 500 hectares, garantindo emprego e renda para suas famílias”, afirmou o presidente.

Fávaro ficou impressionado com a estrutura de trabalho dos cooperados. “Fiz questão de conhecer essa magnífica cooperativa. É impressionante a força de trabalho e a determinação dessas pessoas. Fiquei muito feliz, contem com o meu apoio para contribuir com esse exemplo de mineração para o Brasil”, destacou.

Segundo ele, além de emprego, a cooperativa gera oportunidades para a região. “É uma divisão de riquezas, por isso fiz um compromisso com o vereador e também com a prefeita de buscar recursos para o município e a prefeitura investir em infraestrutura para esse local, com estradas, escolas e transporte para os alunos”.

A prefeita garantiu que trabalhando em parceria, o município continuará contribuindo para os trabalhadores e moradores da comunidade. “Atuamos como uma corrente, o senador nos ajuda e nós contribuímos para a melhoria de vida das pessoas que vivem aqui e que precisam de ações públicas, como escola e posto de saúde”.

O presidente da Coopemiga fez questão de agradecer a visita do senador e o apoio dado aos garimpeiros. “Para nós é uma grande satisfação receber o senador e autoridades do nosso município, pois nosso objetivo é melhorar cada vez mais a estrutura de trabalho e de vida do garimpeiro, e contar com esse apoio é essencial”, enfatizou.