Reprodução Reprodução

O Presidente Bolsonaro esteve no Mato Grosso na manhã desta sexta-feira (18.9). Em Sorriso (MT), município reconhecido como a Capital Nacional do Agronegócio, entrega títulos de terras e participa da abertura do plantio de soja da região.

O presidente Jair Bolsonaro visitou a Usina de Etanol de Milho da Inpasa, em Sinop, no Mato Grosso. A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, acompanhou o presidente na visita a usina de etanol.

Em Sorriso, também no Mato Grosso, Bolsonaro faz a entrega de títulos de propriedade rural. Ainda em Sorriso, o presidente participa do lançamento simbólico do Plantio de Soja.

Bolsonaro diz que não pode "sufocar" o agronegócio em troca de mais terras indígenas

BRASÍLIA, (Reuters) - Ao ser homenageado por representantes do agronegócio no Mato Grosso, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta sexta-feira, que não é possível sufocar o setor, que seria a garantia a segurança alimentar do país, para que se faça mais demarcações de terras indígenas.

Segundo Bolsonaro, o Brasil vem sofrendo críticas pelo que chamou de "alguns focos de incêndio" que acontecem ao longo dos anos, mas afirmou que isso é feito por concorrente comerciais do país.

"Para nossos concorrentes, quanto mais nos atacarem melhor", afirmou o presidente em discurso durante evento em Sinop.

Em seu discurso, Bolsonaro afirmou que o Brasil é "um exemplo para o mundo" ressaltando que a matriz de energia é limpa e que "proporcionalmente ocupamos a menor área para agricultura ou pecuária do que qualquer outro país no mundo". Ele citou o grande potencial do Estado do Mato Grosso como produtor dizendo que o local é o "coração do Brasil". "Aqui é o local onde conseguiremos verdadeira independência, não só econômica, bem como também perante o mundo, que vai passar a nos respeitar."

O presidente recebeu nesta sexta-feira uma homenagem de representantes do agronegócio no município de Sinop, no Mato Grosso, e o título de cidadão sinopense, aprovado pela Câmara de Vereadores e entregue pelo governador Mauro Mendes (DEM). O presidente visitou ainda a usina de etanol de milho Inpasa.

O chefe do Executivo estava acompanhado dos ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Tarcísio Freitas (Infraestrutura), além do secretário Especial de Assuntos Fundiários do Mapa, Nabhan Garcia.

Balança do agronegócio tem superávit recorde de US$ 61,5 bi até agosto, diz CNA

A balança comercial brasileira do agronegócio registrou superávit recorde de US$ 61,5 bilhões de janeiro a agosto de 2020. As exportações somaram, em receita, US$ 69,6 bilhões no acumulado dos oito primeiros meses deste ano, alta de 8,3% em relação ao mesmo período de 2019, e 152,4 milhões de toneladas em volume (aumento de 15,8%). Já as importações no período (US$ 8,1 bilhões) tiveram queda de 11,9% ante igual período de 2019.

Os dados foram divulgados pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), com base nas informações do Ministério da Economia.

Os produtos mais exportados foram: soja em grãos (US$ 25,7 bilhões); carne bovina in natura (US$ 4,8 bilhões); o açúcar de cana em bruto (US$ 4,2 bilhões); a celulose (US$ 4 bilhões) e farelo de soja (US$ 3,9 bilhões). Esses cinco produtos representaram 61,3% dos embarques totais no período.

Em contrapartida, foram destaque na importação no período: trigo (US$ 986,2 milhões); papel (US$ 442,5 milhões), álcool etílico (US$ 354,7 milhões) e malte (US$ 303,1 milhões).

A China foi o principal destino dos produtos brasileiros de janeiro a agosto, com receita de US$ 26,4 bilhões e uma parcela de 38% das exportações. O segundo mercado foi a União Europeia, que respondeu por 16% dos embarques do agro, que somaram US$ 11,3 bilhões. As vendas para os Estados Unidos foram de US$ 4,2 bilhões, fatia de 6,1% do total. Japão e Hong Kong completam a lista dos principais consumidores no acumulado de 2020.

Agosto

No desempenho mensal, as exportações em agosto totalizaram US$ 8,9 bilhões, fechando o mês com saldo positivo de US$ 8 bilhões, aumento de 7,8% em relação a agosto de 2019. Em volume, o total embarcado foi de 22,2 milhões de toneladas, variação de 15,4% na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Os principais produtos exportados no mês foram a soja em grãos (US$ 2,2 bilhões), o milho (US$ 1 bilhão) o açúcar de cana em bruto (US$ 824,3 milhões), a carne bovina in natura (US$ 654,2 milhões) e o farelo de soja (US$ 497 milhões), que tiveram participação de 58,7% do total das vendas externas no mês. China, União Europeia, Estados Unidos, Coreia do Sul e Tailândia foram os principais destinos dos produtos do agro brasileiro.

A CNA também analisou o comércio de alguns produtos que fazem parte do escopo do projeto Agro.BR, desenvolvido em parceria com a Apex Brasil para estimular a inserção de pequenos e médios produtores rurais no mercado internacional. Destaque para chá, mate e especiarias, frutas, lácteos, pescados e produtos apícolas.