0
0
0
s2smodern

Foto: ReproduçãoFoto: ReproduçãoO coordenador do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) comentou que é interesse do órgão ter uma base fixa em Barra do Garças. A afirmação ocorreu em entrevista, nesta quarta-feira (10), dia em que foi deflagrada, pela Polícia Civil no município, a operação Agenda Nacional I. Na ação, a Ciopaer disponibilizou equipes operacionais e um helicóptero para acompanhar os mandados de busca e prisão.

Hoje a Ciopaer, órgão vinculado à Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso, possui uma base na capital e uma no município de Sorriso. Mas o grupo atente todo o território de estado, sempre que solicitado.

De acordo com o tenente coronel da Polícia Militar Juliano Chiroli, coordenador da entidade, a intenção é expandi-la para outras cidades do interior. Para ele, Barra do Garças tem as características que justificariam uma unidade local. “Com certeza, pelo número de habitantes, pela potência econômica da região de Barra do Garças, é também objetivo nosso ter uma base fixa aqui na região.”

O helicóptero da Ciopaer surpreendeu a população do município nas primeiras horas da manhã desta quarta. Além da aeronave de asa rotativa, o órgão também colaborou com um avião, que trouxe equipes para atuar na operação.

“O helicóptero foi utilizado no cumprimento dos mandados de busca, apreensão e prisão, no momento da abordagem às residências, aos alvos, garantindo que esses alvos não evadissem fuga dos policiais em solo”, explica o tenente coronel Chiroli. Segundo ele, o elemento surpresa garante segurança aos policiais e aos alvos das diligências, uma vez que, vendo a aeronave, os investigados evitam confronto com os agentes de segurança.

O helicóptero ainda estava equipado com atendimento de primeiros socorros. “Caso houvesse alguma emergência no cumprimento da ação, também tínhamos uma estrutura para fazer um atendimento a um policial que pudesse estar ferido.”

Durante a operação, as forças de Segurança Pública cumpriram mais de 40 mandados de busca e apreensão e prenderam mais de 30 pessoas. O objetivo foi combater a atuação do crime organizado na região, que é intensamente monitorada desde 2016. Comandada pela Polícia Civil, a ação integrou a Polícia Militar, a Rodoviária Federal, a Federal, o Corpo de Bombeiros, o Sistema Penitenciário, a Politec e grupos especiais.

Nas diligências, que começaram às 5h da manhã, nenhum alvo tentou fuga ou entrou em confronto com policiais.