Foto: TwitterFoto: Twitter

Alguns jovens de Água Boa e de outros municípios como Barra do Garças, Canarana e Nova Xavantina resolveram criar listas com o nome de supostos assediadores de mulheres de cada cidade.

As tais listas geraram longas horas de discussão no twitter, uma rede social de acesso aberto com alguns detalhes diferentes do facebook e do instagram, vindo ao público fora da internet.

O assédio citado nas conversas se refere ao abuso físico ou psicológico sofrido pelas mulheres por atitudes de homens em encontros de amigos chamados "rolês" e também em conversas virtuais.

"tirar uma foto da garota nua, gravar vídeo (..) sem consentimento, receber e compartilhar nudes também é abuso amiguinhos" - escreveu uma menina. Até mesmo estabelecimentos noturnos foram citados como locais onde ocorreram abusos por parte dos homens.

Alguns rapazes que viram seus nomes nas listas e até mulheres amigas deles rebateram o fato, perguntando o que haviam feito para tal exposição. Um gráfico antigo produzido pelo governo foi exibido como exemplo do que poderia ou não ser considerado assédio.

"nenhuma mulher quer que outra passe por situações de abuso, nem psicológico nem sexual. Pra isso precisamos que vocês homens que estão na lista, podem mudar. E querem mudar. Não precisam falar nada no tt (twitter). Mas queremos que vocês pensem 5x antes de qualquer atitude" - escreveu outra garota.

O crime de importunação sexual, definido pela Lei n. 13.718/18, é caracterizado pela realização de ato libidinoso na presença de alguém de forma não consensual, com o objetivo de “satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro”. O caso mais comum é o assédio sofrido por mulheres em meios de transporte coletivo, mas também enquadra ações como beijos forçados e passar a mão no corpo alheio sem permissão. O infrator pode ser punido com prisão de um a cinco anos.

A Lei também tornou crime a divulgação de cena de estupro, sexo, nudez ou pornografia, sem permissão da vítima, por qualquer meio, inclusive de comunicação de massa ou sistema de informática ou telemática, quer por fotografia, vídeo ou outro registro audiovisual. A pena também pode ir de um a cinco anos de reclusão, podendo ser agravada se o agressor tiver relação afetiva com a vítima.

O assédio sexual também está previsto no artigo 216 do código penal, afirmando que "constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual, prevalecendo-se o agente de sua condição superior hierárquico ou ascendência inerentes ao exercício de emprego, cargo ou função".  Isso pode ocorrer de forma verbal, escrita ou por gestos e se houver violência ou grave ameaça, o delito é considerado estupro, previsto no artigo 213 do código.

O outro lado:

Por outro lado, a exposição de nomes de pessoas na internet de maneira vexatória também é crime e pode se encaixar nas leis de Calúnia (art. 138) difamação (art. 139) ou injúria (art. 140) do Código Penal. A pessoa ofendida pode reunir o material por meio de "prints" e procurar um advogado. A pessoa que praticar pode pegar de 1 mês até 2 anos de prisão, dependendo do artigo, e multa.