ReproduçãoReprodução

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) iniciou, nesta segunda-feira (25.04), a mobilização em todas as unidades escolares da rede estadual de ensino para aplicação da 1ª Avaliação Formativa de 2022. Durante esta semana, gestores e professores preparam as unidades escolares para que estejam prontas para a aplicação das provas, que virão nominadas para cada um dos mais de 380 mil estudantes da rede, formada por 700 escolas.

Os gestores estão sendo orientados em como aplicar a prova, através do Manual do Aplicador, como preparar o ambiente da sala e compreender a importância desta avaliação, que é realizada em grande escala.

A aplicação das provas começa a partir do dia 02 de maio, atendendo alunos do 2° ano do Ensino Fundamental até os do 3° ano do Ensino Médio, contemplando inicialmente os conhecimentos em Português e Matemática. Os estudantes do 2° e 3° anos do Ensino Fundamental, responderão a 24 questões por disciplina, já os outros anos terão 32 questões por área de conhecimento.

“A avaliação permitirá conhecer como estão os alunos da rede, compreendendo o que eles sabem, no que estão defasados ou quais limitações ainda têm, para então propormos intervenções que podem ser voltadas, por exemplo, para professores ou ampliação de horas aulas. Estamos aguardando o diagnóstico que virá, para podermos atuar melhor”, explicou a líder da Política de Estruturação de Ensino, Ana Paula Moreira dos Santos.

A aplicação da avaliação formativa faz parte da implementação do Sistema Estruturado de Ensino. Uma política pública, com duração de cinco anos, que vem criar uma nova e mais moderna forma de promover o aprendizado em Mato Grosso e tem a parceria da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Com aplicação das provas, as respostas possibilitarão mapear a situação, ou seja, ter um retrato atual que indica os entraves que estão ocorrendo, para então, corrigir atitudes, mudar práticas, enfim, promover intervenções.

Esta primeira avaliação de 2022 tem caráter diagnóstico, mas, em novembro, ocorrerá uma segunda que permitirá que se compare a evolução dos alunos, bem como, se as intervenções propostas foram eficazes.

“Independentemente do resultado da avaliação, a rede já está se reorganizando com o ‘Plano Estadual de Enfrentamento aos Efeitos da Pandemia de Covid-19 na Educação’, para trabalhar os problemas acarretados nesses dois anos”, frisa a professora Ana Paula.

CLIQUE AQUI E PARTICIPE DE NOSSOS GRUPOS DE WHATSAPP