0
0
0
s2smodern

Imagem IlustrativaImagem Ilustrativa

Um suplente de vereador em Água Boa foi desafiado por três torcedores do flamengo a apostar na vitória do time Argentino River Plate, no jogo da final da libertadores, ocorrida no sábado (23.11) no estádio de Lima, no Perú.

De acordo com o site Notícias do Município, os 4 e outros presentes estavam acompanhando o jogo em Água Boa, quando resolveram apostar em quem ganharia a partida. O valor na mesa de apostas chegou a R$ 50 mil reais entre dinheiro e cheques.

Durante quase todo o jogo estava tudo bem para o suplente, com o placar em 1x0 para o River, mas com a surpreendente vitória de virada do Flamengo sobre o River Plate no final do segundo tempo, os outros 3 torcedores levaram a melhor e ficaram com três cheques do apostador, dois de R$ 20 mil e um de R$ 10 mil reais.

 “Fiz as apostas sim, inclusive não paguei nenhuma com cheque sem fundos, os ganhadores descontaram os meus cheques nesta manha de segunda-feira (25.11) no banco. Sou um homem honesto e trabalhador o suficiente para honrar meus compromissos, vivo do meu trabalho, o que eles querem é denegrir a minha boa imagem de homem publica conquistada ao longo dos anos” - escreveu o site como depoimento do vereador.

A brincadeira ficou mais complicada que o saque dos valores no banco, pois os vencedores da aposta publicaram a foto dos cheques com o nome do suplente a vereador em suas redes sociais e grupos de whatsapp para contar vantagem. E dessa vez o parlamentar se sentiu prejudicado. “Se ta ruim pra vc, imagina pro vereador (...) que apostou no River e perdeu R$ 50.000,00” - Referiu o site como postagem dos apostadores.

“Eles exibiram e compartilharem meus 3 cheques em grupos como se fossem troféus antes mesmo de passarem no banco para desconta-los. Esses irresponsáveis usaram de má fé comigo, expuseram a minha vida e estão tentando denegrir a minha imagem de pessoa publica.” - escreveu também o site como depoimento do vereador.

Por fim, o legislador chamou um advogado e registrou um Boletim de Ocorrência na Polícia Judiciária Civil sob registro de "Preservação de Direito".

(Fonte: Antônio Borges Neto | Notícia dos Municípios)