0
0
0
s2smodern

 

Foto: DivulgaçãoFoto: DivulgaçãoEm resposta à rebelião ocorrida no presídio de Altamira, município do nordeste do Pará, o governo do estado determinou a transferência de 46 detentos. Destes, 16 foram identificados como líderes da facção Comando Classe A. Oito deles foram para o regime federal e outros oito para as unidades prisionais de Belém. O restante será distribuído em outras cinco unidades prisionais do Pará. Segundo a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará, 100 agentes estão trabalhando nesta operação.

Além disso, o governador Helder Barbalho solicitou ao ministro Sérgio Moro, o reforço de ao menos 40 integrantes da Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária. Para evitar possíveis revides, alguns internos do Complexo Penitenciário de Marituba serão realocados. De acordo com a nota do órgão responsável pelo sistema penitenciário, cerca de 500 presos serão transferidos.

O Governo do Pará já identificou os 57 detentos mortos na rebelião. Dentre as vítimas, 16 foram decapitadas, enquanto outros 46 internos morreram por asfixia.

O motim ocorreu na manhã desta segunda (29), no Centro de Recuperação Regional de Altamira. O motivo, segundo as autoridades, seria uma disputa entre as facções Comando Classe A e Comando Vermelho. O ataque partiu de líderes do Comando Classe A, que colocou fogo nas celas onde ficavam os líderes do grupo rival.

Apesar de dois agentes terem sido feitos reféns, foram libertados logo e nenhum foi morto. A unidade de Altamira abriga 311 internos.