ReproduçãoReprodução

Equipes da Força Nacional começaram nesta sexta-feira (25) a combater os incêndios no Pantanal. A chuva dos últimos dias amenizou a situação, mas o fogo ainda avança em locais onde não choveu, como em Porto Jofre.

O calor voltou intensamente. Faz quase 38ºC na região.

A umidade relativa do ar é de 23%, isto é bem abaixo do considerado ideal pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Os focos de incêndios voltaram em lugares que já tinham queimado.

Os homens da Força Nacional também ajudam no combate ao fogo que atinge o Parque Nacional do Pantanal, já próximo ao limite dos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Recorde de focos

O Pantanal já registra o número mensal mais alto de focos de incêndio desde o início da série histórica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 1998: foram 6.048 pontos de queimadas registrados no bioma desde o dia 1º de setembro até quarta-feira (23), o dado mais recente. O recorde mensal anterior era de agosto de 2005, quando houve 5.993 focos de incêndio no bioma.

Em comparação a 2019, quando setembro teve 2.887 focos detectados em 30 dias, o mesmo mês de 2020 já apresenta uma alta de 109%. O número de focos neste mês está 211% acima da média histórica do Inpe para setembro, que é de 1.944 pontos de incêndio.

Este mês já era o setembro com mais focos de incêndio no bioma. Em agosto, foi registrado o segundo maior número de queimadas para o mês; julho também registrou um recorde mensal.