Pichetti Rui Vilani  Inez Trentin Zandoná  Tarcísio Tonhá  Outros
0
0
0
s2smodern

Imagem Ilustrativa

Todos sabem que, qualquer pessoa honesta, dedicada, interessada, quando faz um compromisso recíproco com alguém, que não precisa ser por escrito ou cartorial, ela se coloca naquele ávido desejo, de receber em troca, a mesma coisa, ou seja, fidelização, amizade, confiança, parceria e no mínimo, receber respeito de seu parceiro ou de sua parceira.

A felicidade de um casal está firmemente alicerçada na confiança que um deposita no outro e quando se perde esta confiança, é muito difícil, segurar passivamente, os passos seguros de antes.

Mas, na prática, o que presenciamos por aí, não é bem isso, é outra coisa muito diferente. Parece que estas coisas de comprometimento, no auge da evolução do século 21, se é que podemos chamar isso de evolução, esta relação recíproca, virou falácia, ficou acintosamente démodé, virou cafonice, um teatro caótico a mercê de espetáculos sem roteiros... sem artistas e sem coadjuvantes.

Virou casa de fantoches fantasiados de gente, que perderam a dignidade e partiram para coisas outras, bem diferentes de uma sociedade organizada e construída em bases sólidas.

Todos perderam a consciência da moral, do compromisso, da responsabilidade familiar... quando digo isso, não estou colocando neste caldeirão, todas as pessoas do mundo, e sim, de uma grande parcela, que se sentem desobrigados e reagem agressivamente, quando cobrados de suas cônscias responsabilidades.

Trocando em miúdos, eu classifico isso como traição... e pergunto... os traídos, como reagem? ficam passivos nessas situações? ficam decepcionados? ficam com sentimento de vingança ou buscam entender qual o motivo... e muitas vezes acham que a solução está na violência e partem para a forra física, e de uma maneira passional... é o que acontece na maioria dos casos, que viraram manchetes por aí...

As consequências são geralmente catastróficas, principalmente, quando envolve família... e eu pergunto, qual a razão da traição? simplesmente buscar o difícil? buscar aventuras? São completar lacunas? ou é falta de senso de responsabilidade, ou falta de vergonha. no meu pensar, nada justifica isso.

Ninguém é obrigado viver com ninguém, por isso, antes de partirem para qualquer ação, que se transforme em traição, pense, reflita, e em última instância, apele para o bom senso... e vá viver sua vida, em outros rincões, sem magoar e deteriorar a vida de ninguém...

por um outro lado, existe por aí, a grandeza do perdão, a grandeza da aceitação, que nestes casos, sobrepõe a traição, mas no fundo no fundo, é uma cicatriz que o perdão custará a apagar.