Pichetti Rui Vilani  Inez Trentin Zandoná    Outros

Imagem Ilustrativa

Sem ferir suscetibilidade de ninguém, pois sou apolítico, mas como eleitor consciente QUE SOU e que acompanha o desenvolvimento de nosso município... contribuo para eleger nossos representantes, e como tal, gostaria de ver estampada em nossa mídia, notícias sobre a ação de nossos políticos, umas ações diferentes, que fossem mais consistentes, de modo a retratar a capacidade de gestão de cada um, com obras e trabalhos efetivos , espelhando um mundo diferente da política praticada por muitos.

Fica claro, que não estou criticando nem fazendo apologia à ninguém, e sim, tentando criar subsídios para que possamos avaliá-los nas próximas eleições e fazer uma boa escolha ou seja a escolha certa.

Infelizmente o que vemos por ai, são reportagens ou fotos de cunho evasivo, de ordem pessoal, que não agregam em nada à gestão politica, que possam convencer o eleitorado.

Eu sei das dificuldades encontradas, para que o poder legislativo tem, para aprovar leis que favoreçam nossas comunidades, até mesmo por questões financeiras, ou de outros motivos que desconhecemos... mas um plano antecipado de ações bem executado, bem elaborado, agrega a confiança do eleitor, principalmente, em se tratando de coisas viáveis e que não sejam constituídas de coisas vãs e impossíveis.

É sabido que de uns tempos para cá, o eleitor passou a ser mais exigente, e se ele não ver para crer, e se o candidato apresentar aqueles chavões clássicos como: minha meta é educação, saúde e segurança, isso não vai colar e o tiro pode sair pela culatra, como também, haverá um grau bem maior de dificuldade para ser eleito ou reeleito.

Já que estamos falando de política, essa vai pra descontrair:

Num discurso de campanha, um político dizia:

- eu vou arrumar emprego para todos, eu vou resolver a saúde de todos, a educação de todos, eu vou fazer isso, aquilo, eu vou, eu vou...sempre usando o possessivo eu...

e numa dessas, seu assessor disse baixinho, excelência, emprega o plural, e o plural seria "nós vamos"...

Então ele disparou: - Eu vou empregar o plural, vou empregar o pai do plural e até o tio do plural!