Pichetti Rui Vilani  Inez Trentin Zandoná    Outros

Imagem Ilustrativa

Em tempos de pandemia o mundo experimenta uma “Nova Ordem” a qual forçosamente vamos nos adaptando. Nestas condições o ser humano mostra-se em sua essência, sem máscaras, sem disfarces, autenticamente, é o momento no qual surgem espontaneamente os heróis anônimos e os vilões indiscretos.

Oportunistas tal qual o COVID-19 que, hospedando-se em organismo com saúde frágil acelera a morte, os vilões indiscretos usam o caos da pandemia para semear a discórdia e buscar a autopromoção!

Sempre ávidos pelo poder parecem desconhecer fatos históricos que demonstram e ensinam que a reconstrução se faz com união, que a grande virtude está em agir, construir e não em aparecer.

Como contrapeso aos oportunistas estão as categorias profissionais que não param na pandemia, aliás, mais do que nunca, tornam-se indispensáveis, são principalmente os policiais e os profissionais da saúde que suportam e carregam em seus braços um mundo fragilizado pelo medo, pelo desconhecido e pelas incertezas....

Nestas horas acompanhando o trabalho dedicado de tais pessoas, conseguimos entender o significado da palavra vocação. Profissionais dedicados totalmente a salvar vidas, combatendo heroicamente em todo o país, como verdadeiros soldados na linha de frente em uma batalha que por certo será longa e, dispondo de recursos limitados para enfrentar o inimigo.

Dia a dia repetem-se atos de valentia, de humildade e de humanidade que renovam nossas crenças no ser humano.

Apesar da presença dos vilões, temos nossos heróis, com identidade e profissão a nos mostrar, rostos cansados por trás das máscaras, que ainda há esperança.

LUIZ OMAR PICHETTI
Eg. Agrônomo
Acadêmico de Direito