Pichetti Rui Vilani  Inez Trentin Zandoná    Outros

Imagem Ilustrativa

Norman Borlaug, prêmio Nobel da Paz foi o autor da frase acima, que traz em seu bojo uma assertiva inquestionável. Neste cenário, o Brasil é um País privilegiado, pois a natureza nos favoreceu com um clima tropical, que possibilita produzir de forma abundante e diversificada, colaborando decisivamente no “enchimento do estômago da humanidade”.

O estágio atual de desenvolvimento da agricultura brasileira é fruto de muito trabalho, conhecimento e desenvolvimento científico em múltiplas áreas, com notáveis avanços no ensino, na pesquisa e também na difusão destes conhecimentos aos produtores rurais, através de empresas públicas e privadas.

Evidentemente que existem muitos desafios a superar. O País necessita melhorar o cenário externo em relação as exportações, agregando valor a sua produção, substituindo a venda de produtos primários por produtos elaborados.

Também o Poder Público deve cumprir sua função respondendo de forma rápida e eficiente às questões estratégicas de logística e de planejamento da produção, objetivando dar vazão ao imenso potencial produtivo que nos foi disponibilizado.

Por fim é necessário corrigir um erro da sociedade brasileira que de uma forma geral critica quem produz e, paradoxalmente, elogia a qualidade dos produtos alimentares que lhes são disponibilizados.

Os produtos agrícolas chamam a atenção quando expostos e embalados nos supermercados, entretanto, parcela significativa da população urbana desconhece as dificuldades da produção agrícola que requer conhecimento, investimentos e sujeição a inúmeros riscos financeiros e naturais, em seu percurso do campo às nossas mesas.

Certamente as atividades rurais continuarão seu ritmo de desenvolvimento, suprindo as necessidades internas e potencializando as exportações. Por sua importância no contexto social, os agricultores justificam e merecem maior valorização. Sem ideologias! Por Méritos.

Luiz Omar Pichetti
Engenheiro Agrônomo
Acadêmico de Direito