Pichetti Rui Vilani  Inez Trentin Zandoná  Tarcísio Tonhá  Outros
0
0
0
s2smodern

Imagem Ilustrativa

Certas culturas vegetais tendem a ser negligenciadas pela sociedade brasileira, por motivos diversos, seja por desconhecimento de suas propriedades nutritivas, por modismos da "Arte Culinária", ou mesmo pelo charme do nome. Afinal, "Batata Inglesa" é um termo mais charmoso em comparação com a batata-doce.

Mesmo sendo originária das américas, a batata-doce é pouco cultivada no continente, com apenas 4% da produção mundial, enquanto a Ásia respnde por 70% da produção.

Entretanto, após longo período de estagnação, o mercado da batata-doce experimenta um momento de evolução no país. Um dos principais fatores ara o aumento do consumo está relacionado às características de ser um alimento indicado na dieta de atletas de alta performance.

Mesmo assim, seu consumo é ainda baixo, situando-se em 600 gramas por habitante, frente a um consumo de 5 quilos per capta no Uruguai, segundo dados da Embrapa.

Diversos estudo científicos comprovam as características nutricionais da batata-doce, tanto que a mesma se faz presente em inúmeros planos de dietas, graças as suas propriedades como o baixo índice glicêmico, a diversidade de vitaminas e o elevado teor de fibras.

Ademais, a batata-doce chama a atenção por sua versatilidade, pois tudo dela se aproveita, desde a raíz, ramas, cascas e folhas. Na alimentação humana a raíz é usada tanto "In Natura" quanto em ingredientes para massas e purês. Além disso, as folhas e caules são utilizados no preparo de saladas e na fabricação de rações para o consumo humano e animal. Serve ainda como matéria prima na fabricação de amidos, pães e doces diversos.

Por ser uma planta eclética, adaptada a todas as regiões do país, com múltiplas utilidades, inclusive para fabricação de etanol, tem sido objeto de constantes melhoramentos genéticos, de tal forma que atualmente existem varioedades com potencial de produzir 65 toneladas por hectare, três vezes superior às produtividades médias anuais.

Por suas múltiplas qualidades, a batata-doce tem sido merecidamente resgatada como importante componente do reino vegetal, com demanda e valorização em alta.

Luiz Omar Pichetti
Engenheiro Agrônomo
Acadêmico de Direito