Um vídeo mostra um armazém abarrotado, com milhares de toneladas de milho espalhados ao redor do equipamento. As imagens são de São José de Xingu (MT), município próximo a Porto Alegre do Norte, no nordeste mato-grossense, e circulou em grupos de redes sociais entre os produtores, sindicato rural e Secretaria da Agricultura locais nesta terça-feira (03/03/21).

Terminada no último dia 29, a colheita do milho safrinha na Fazenda Pesa Três rendeu cerca de 20% a mais do que na temporada de 2019/2020. No total, os produtores colheram 520 mil sacas em quatro mil hectares (área com 900 ha a mais do que na safra passada). “Nós tivemos uma safra muito boa, mesmo diante de tantos problemas com o clima. Nosso silo não comportou tudo, então tivemos que botar no chão”, conta a proprietária rural Valquíria Abreu.

Valquíria calcula que 320 mil sacas ficaram do lado de fora — o silo tem capacidade para armazenar 200 mil sacas. “Já começamos a construção de mais dois silos para o ano que vem”, diz. O investimento nos dois novos armazéns é de algo entre R$ 9 milhões, segundo a produtora. “Para a próxima safra de soja, já vai estar tudo certinho”, acrescenta. A previsão é de que os armazéns fiquem prontos em setembro.

A safra de soja de 2021/2022, na Fazenda Pesa Três, deve ocupar 4,6 mil hectares: acréscimo de 600 hectares sobre a área atual (a mesma ocupada, em seguida, pelo milho de inverno). A produtividade cresceu para 152 sacas por hectares em 2020/2021, antes 150 sacas/ha na temporada anterior. “Estamos mexendo com lavoura desde 2014 e temos obtidos bons resultados”, afirma Valquíria.