Banner Política
0
0
0
s2smodern

Foto: ReproduçãoFoto: ReproduçãoO presidente Jair Bolsonaro (PSL) promove na manhã desta quinta-feira (3) a primeira reunião ministerial desde que tomou posse, na terça (1º). O encontro foi realizado na Sala Suprema, no segundo andar do Palácio do Planalto, com capacidade para abrigar mais de 20 pessoas sentadas em torno de uma mesa oval. Por volta das 10h45, a reunião, que começou às 9h, ainda estava em andamento.
 
Nesta primeira reunião - inicialmente marcada para 8 de janeiro -, Bolsonaro pretende discutir com seus ministros as medidas prioritárias a serem adotadas pelo governo nos 100 primeiros dias. Segundo integrantes da nova administração ao longo da semana, cada titular apresentará o trabalho realizado durante a transição e sugerirá quais ações dentro da pasta devem receber atenção especial.
 
 
A reunião foi fechada a jornalistas, mas o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, postou uma foto do encontro em seu Twitter. Nela, é possível ver Bolsonaro ao lado do vice, Hamilton Mourão, além dos ministros Sergio Moro (Justiça), e Ernesto Araújo (Relações Exteriores), além do próprio Tarcísio. Cerca de 1h30 depois do início da reunião, o governo divulgou fotos oficiais do evento.
 
Todos os ministros foram empossados também na terça, mas as cerimônias de transmissão de cargo ocorreram nesta quarta (2). Bolsonaro compareceu à solenidade conjunta dos quatro ministros que trabalharão ao seu lado no Planalto e à do ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva.
 
O último, por exemplo, afirmou que entre suas prioridades estarão racionalizar custos em atividades-meio dentro das Forças Armadas e reestruturar a carreira militar a fim de torná-la mais atrativa para jovens.

Ontem, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, anunciou que iria exonerar todos os servidores da pasta que ocupam cargos comissionados para dar início à "despetização do governo". A medida já foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta.
 
Segundo Onyx, a medida de exonerar os servidores de governos anteriores será sugerida aos demais ministros na reunião de hoje. "É importante que a gente possa governar livre de amarras ideológicas", declarou.
 
O ministro da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, cuja pasta ficou responsável pelo PPI (Programa de Parcerias de Investimentos), disse que pretende acelerar projetos de transporte, logística e mobilidade urbana.