0
0
0
s2smodern

Foto: ReproduçãoFoto: ReproduçãoA Polícia Federal, por meio do Grupo de Repressão a Crimes Cibernéticos, deflagrou nesta quinta-feira (7), em Mato Grosso e Rondônia, a 4ª fase da Operação Araceli, com o objetivo de combater o crime de abuso sexual infantil.
 
Estão sendo cumpridos seis mandados de busca e apreensão, sendo três em Cuiabá, um em São José do Rio Claro, um em Barra do Bugres e um em Cerejeiras (RO).
 
Trata-se de um trabalho de investigação permanente que conta com o apoio de populares denunciantes, com ferramentas tecnológicas disponibilizadas por organizações não governamentais estrangeiras - como a Missing Kids e a Child Rescue Coalition - , além do auxílio das polícias de Berna, na Suíça, e de Wellington, na Nova Zelândia.
 
Dados dos investigados não serão informados para garantir o sigilo necessário às investigações e para preservação da imagem destes. Nomes serão divulgados somente após condenação criminal, no mínimo em segunda instância.
 
Nome da operação
 
O nome da operação é uma homenagem à Araceli Cabrera Sánchez Crespo, criança brasileira vítima de abuso sexual e de violência, assassinada em 18 de maio de 1973.
 
A data de 18 de maio tornou-se o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Denúncia
 
A Polícia Federal pede à população para que denuncie casos de abuso sexual infantil de que tenham conhecimento.
 
De acordo com o delegado Renato Sakamoto, que conduz as investigações, a denúncia pode ser feita a qualquer unidade da polícia ou do Ministério Público. É assegurado o sigilo dos dados do denunciante, caso necessário.

"Conclamamos a população para que denuncie os casos de abuso sexual infantil que tenham conhecimento. Trata-se de um crime muito grave e que precisa ser duramente combatido", disse.