0
0
0
s2smodern

 

Foto: ReproduçãoFoto: ReproduçãoA coalizão anti-Estado Islâmico (EI), comandada pelos Estados Unidos, confirmou nesta quinta-feira (28) a morte do jihadista francês Fabien Clain, que reivindicou em nome do grupo extremista os atentados de 13 de novembro de 2015, em Paris, que deixaram 130 mortos.

"Um ataque da coalizão acabou com a vida de um encarregado ativo dos meios do EI, chamado Abu Anas al Faransi, também conhecido com o nome de Fabien Clain, em Baghuz", Síria, tuitou a coalizão, confirmando informações obtidas na semana passada pela AFP de fontes coincidentes.

A coalizão internacional destacou que "seguia tomando o EI como um alvo na Síria, impedindo que ressurgisse nas zonas libertadas", e acrescentou que os jihadistas continuavam "preparando atentados em todo o mundo".

Originário de Toulouse (sudoeste da França) e convertido ao Islã nos anos 90, Fabien Clain, de 41 anos, foi identificado pelos investigadores franceses como o autor de mensagens de áudio nas quais são reivindicados os atentados de 13 de novembro de 2015 em Paris, nos quais morreram 130 pessoas e centenas ficaram feridas.