0
0
0
s2smodern

Foto: El PaísFoto: El País

O fechamento das fronteiras da Venezuela, ordenado pelo presidente Nicolás Maduro, elevou o clima de tensão no país e entre os vizinhos. As divisas foram cerradas às vésperas do envio da ajuda humanitária solicitada pela oposição venezuelana: remédios e medicamentos enviados pelos Estados Unidos devem chegar ao país neste sábado, 23 de fevereiro.

Os venezuelanos vivem uma grave crise política há alguns anos, que ganhou novos contornos no último mês, quando o opositor Juan Guaidó se autoproclamou presidente interino. O líder opositor recebeu o apoio de vários países, entre eles o Brasil e os EUA.

O agravamento da crise provocou novos protestos nas ruas nas últimas semanas e, em meio a este cenário, cerca de 150.000 pessoas participaram nesta sexta-feira do Venezuela Aid Live, um concerto musical gratuito realizado no limite entre a Colômbia e a Venezuela, na cidade colombiana de Cúcuta.

O evento contou com a participação de Guaidó, que estava proibido pela Justiça de deixar seu país. Segundo ele, contudo, "as Forças Armadas também participaram desse processo, o que pode indicar que o apoio de militares a Maduro segue se enfraquecendo.

Durante o dia, dois venezuelanos morreram em confrontos com os militares do país e pelo menos 12 pessoas ficaram feridas. Apesar das tensões, as ações de ajuda humanitária seguem programadas para este sábado.