0
0
0
s2smodern

Foto: AssessoriaFoto: AssessoriaNesta sexta-feira (18), o jornalista e escritor Rodrigo Lins lançará em Barra do Garça, Mato Grosso, sua obra mais recente, o livro "Internacionalize-se". O encontro será às 18h30, na Almanaque Bookstore e café, no Barra Center Shopping e contará com um bate papo e uma palestra sobre como levar a carreira para o exterior. Entre dicas e caminhos sobre internacionalização no mercado de trabalho, o profissional compartilha com o público como conquistou o almejado greencard para viver e trabalhar legalmente nos Estados Unidos.

Uma pesquisa recente mostrou que a maioria dos brasileiros deixariam o país para trabalhar e viver no exterior. Entre os entrevistados, 91% afirmaram ter vontade de ter uma experiência profissional internacional. Estados Unidos, Canadá e Portugal são os destinos mais desejados. Priorizando a carreira, para 61% dos participantes ter um emprego garantido antes de partir é fator determinante para impulsionar a mudança, de acordo com a apuração da companhia de recrutamento e seleção Talenses.

Na pesquisa, que foi respondida por 1.470 profissionais brasileiros, dos quais 1.239 vivem no Brasil e 231 no exterior, 80% dos integrantes do primeiro grupo demonstram interessem em ter um trabalho formal em outro país. Na hora de decidir sair do país em busca de oportunidades no exterior, o sonho de viajar e viver outra cultura é o principal motivador (35%), seguido pela crise e o desemprego atual (25%) e pela falta de perspectiva profissional aqui no Brasil (22%).

No ano passado, uma pesquisa do Instituto Datafolha revelou que a intenção de jovens detentores de nível superior em deixar o país está no nível mais alto dos últimos anos. Dados da Receita Federal indicam que, desde 2014, o número de declarações de brasileiros que deixaram o país em definitivo cresceu 74%. No começo da década, em média, 9.000 pessoas devem o país por ano. Em 2014, foram 12.241. Em 2017, o número chegou a 21.236.

Rodrigo Lins acredita que, nos Estados Unidos, o sistema imigratório americano tem privilegiado os cérebros e talentos profissionais de estrangeiros. O jornalista explica que a categoria de vistos imigrantes concedidos por habilidades extraordinárias ou excepcionais em diversas áreas do conhecimento tem sido a opção imigratória de brasileiros que desejam levar a carreira para os EUA.
 
"Passamos por uma grande mudança de perfil imigratório aqui nos Estados Unidos. Há pouco mais de 10 anos os imigrantes brasileiros eram atraídos por ofertas de trabalho em funções operacionais e mais braçais no território americano. Ao chegar nos EUA comecei um estudo sobre as possibilidades imigratórias permanentes para estrangeiros e me deparei com a categoria de Green Cards concedidos pelo Governo americano para profissionais de sucesso vindos de outro país – o conhecido 'Visto Einstein'", revela Rodrigo Lins.

Para o jornalista, a internacionalização de carreiras é uma forma de 'entrar pela porta da frente' nos Estados Unidos com reconhecimento do mérito intelectual do profissional. Os vistos Eb-1 A, Eb-2 e O garantem possibilidades imigratórias para profissionais brasileiros que queiram levar suas carreiras para os Estados Unidos como especialistas em diferentes áreas.