0
0
0
s2smodern

 Foto: Arquivo PessoalFoto: Arquivo Pessoal

Ao fim da nossa viagem, já em Lisboa, há um dia para voltar para casa, estávamos fazendo um tour em uma van pela cidade.

Conhecemos Ricardo, dono de uma van, que nos transportou do aeroporto ao hotel, e se propôs a nos conduzir por um tour pela cidade, uma vez que tínhamos pouco tempo.

Ao passar elo Bairro da Ajuda, a procura de um restaurante caseiro – queríamos comer uma comidinha simples, ao entrar em uma rua o motorista da van avistou uma pessoa que seria o presidente de Portugal.

Alertou-me, encostou a van e chamou o Sr Marcelo, que veio até a janela da van.

Ricardo nos apresentou como Brasileiros em visita a Lisboa, saímos da van e ele fez uma selfie com o grupo com meu celular, num gesto muito humilde e simpático. Cumprimentou a abraçou a todos.

Foto: Arquivo PessoalFoto: Arquivo Pessoal

Tive a oportunidade de falar com ele por uns instantes e lhe perguntei como ele vê o Brasil, nesses primeiros dias de governo novo.

Ele afirmou que sem dúvida o nosso país recupera a credibilidade na comunidade econômica e financeira internacional, o que me fez muito feliz.

Disse ao final que o momento não é de vinganças – referia-se a divergências político-partidárias e ideológicas acirradas. Sabiamente disse que nosso momento deve ser totalmente voltado a proposição e realização de projetos que realmente interessem ao povo e ao país.

Uma pessoa carismática, humilde. Um bom exemplo para muitos.

O encontro com o Sr. Marcelo, foi o bônus da nossa viagem. A cereja do nosso bolo.

DivulgaçãoDivulgação

O PRESIDENTE DE PORTUGAL

Marcelo Rebelo de Sousa foi eleito presidente de Portugal em primeiro turno, com 52% dos votos, assumindo em 2016. apesar de ser militante do Partido Social Democrata (PSD) desde 1974, se candidatou de forma independente, sem apoio financeiro ou político de seu partido; também não aceitou doações de empresários. A maior parte de sua campanha – sem comícios nem festas populares nem distribuição de adesivos – foi paga de seu próprio bolso, por isso foi a mais barata de todas.

Antes da candidatura, Marcelo Rebelo de Sousa não ocupava nenhum cargo político. Ele se dedicou à sua cátedra de Direito da Universidade de Lisboa, a administrar a Fundação da Casa de Bragança e a seu programa dominical em TV, de análise política, um sucesso de audiência por sua credibilidade, pela apresentação didática dos temas e por sua independência política.

Rebelo de Sousa é o quinto presidente dos 40 anos da democracia de Portugal. Os 4 anteriores foram todos reeleitos, sendo eles: o militar Ramalho Eanes, que se postulou como independente, embora apoiado pela esquerda (1976-1986); os socialistas Mário Soares (1986-1996) e Jorge Sampaio (1996-2006) e o social-democrata Aníbal Cavaco Silva (2006-16).

DivulgaçãoDivulgação