0
0
0
s2smodern

DivulgaçãoDivulgaçãoPor falência multipla dos orgãos, tenho a triste incumbência de comunicar a todos vocês, que após vários e vários anos de sobrevivência, a minha geração acaba de dar os últimos suspiros de vida.

Ela deixa uma lacuna sem precedentes, no meio em que vivemos hoje. Aos nossos sucessores, informamos e desejamos de coração, que preservem alguma coisa de nossos pais e avós, se quiserem ainda, estampar em seus semblantes, a alegria de viver …

É uma tarefa árdua em que, vocês jovens, terão que enfrentar de agora em diante, para que possam ao menos lembrar de nós. O que vemos hoje, é um caminho sombrio e nada animador.

Procuro e meus olhos não conseguem distinguir aquele horizonte em que tínhamos antes, lindas matas, rios, pássaros, amizade sinceras, pureza e a docilidade de coração, os quais acabamos de enterrar no fundo de uma lápide, onde, com esta crônica, vamos rabiscar com letras miúdas o nosso humilde nome.

Deixaremos saudades, mas não se importem com isso não, será por pouco tempo, pois as novas gerações, embaladas pelos rótulos de uma pseuda felicidade, não fazem muita questão de reviver aquilo que não viveram.

Vocês vão viver, por algum tempo, no mundo das ilusões, que não promete muito, num mundo em que as pílulas, substituirão um gostoso arroz com feijão, num mundo em que as mascáras serão artigos de luxo, para sua respiração...

E aqueles pobres miseráveis, que perambulam por aí, não terão o luxo de filtrar esse ar negro que vagueia pelos montes, morrerão sem dó nem piedade, servindo de alimento aos famintos abutres que ainda existirem até lá.

A mais de dois mil anos atrás, a visão apocaliptica, retratava a otica real do mundo de hoje, estamos a cada dia que passa, a passos largos, encurtando esse tempo.

Queria eu, neste momento, levar a vocês jovens, uma palavra motivadora, uma palavra de ânimo, mas diante da realidade, tenho vergonha de mentir para vocês. É claro que não são todos, mas a maioria, estão assinando seu atestado de morte, não a morte física, mas sim a morte da moral, do respeito, da educação, do sexo e da família, que infelizmente, sentem-se fracas para reagir.

Me furto aqui relacionar as atrocidades do mundo atual, mas pelo que vemos todos os dias, e em todos os lugares, um mundo gritando que temos que acordar, mas com lágrimas nos olhos, me ponho a chorar. Minha contribuição é que vocês sabedores disso, tomem alguma atitude para seu próprio bem, senão... Adeus.